Sonetto d’amore (Soneto de amor)

Portuguese

Soneto de amor

Não me peças palavras, nem baladas,
Nem expressões, nem alma...Abre-me o seio,
Deixa cair as pálpebras pesadas,
E entre os seios me apertes sem receio.
 
Na tua boca sob a minha, ao meio,
Nossas línguas se busquem, desvairadas...
E que os meus flancos nus vibrem no enleio
Das tuas pernas ágeis e delgadas.
 
E em duas bocas uma língua..., - unidos,
Nós trocaremos beijos e gemidos,
Sentindo o nosso sangue misturar-se.
 
Depois... - abre os teus olhos, minha amada!
Enterra-os bem nos meus; não digas nada...
Deixa a Vida exprimir-se sem disfarce!
 
Submitted by O.A. Ramos on Tue, 25/07/2017 - 23:24
Align paragraphs
Italian translation

Sonetto d’amore

Non chiedermi parole, né ballate,
né ragioni, né anima... Il tuo seno aprimi,
lascia che si calino le palpebre estenuate,
e senza timore fra i tuoi seni stringimi.
 
Con la tua bocca sulla mia, nel mezzo,
le nostre lingue si cerchino, esaltate...
e vibrino i miei fianchi nudi nel sollazzo
fra le tue agili gambe affusolate.
 
E in due bocche una lingua..., — uniti,
noi ci scambieremo baci e gemiti,
sentendo il nostro sangue in ebollizione.
 
Dopo... — apri i tuoi occhi, dolce amore!
Inchiodali nei miei; senza parlare...
lascia che la Vita s’esprima senza finzione.
 
Submitted by Manuela Colombo on Fri, 28/07/2017 - 15:31
Author's comments:

Traduzione fatta da Manuela Colombo. Chi volesse riutilizzarla, è pregato di chiederne prima l’autorizzazione e di citare sempre il mio nome come autore.
Tradução feita por Manuela Colombo. Caso você queira reutilizá-la, por favor peça por permissão antes e sempre cite meu nome como o do autor.
Translation done by Manuela Colombo. In case you want to reprint it, please ask for permission first and always cite my name as its author.

Comments