Um cego (Un ciego)

Portuguese translation

Um cego

Não sei qual é a cara que me mira
Quando olho minha cara em um espelho;
Em seu reflexo não sei quem é o velho
Que me olha com cansada e muda ira.
 
Lento na sombra, com a mão exploro
As invisíveis rugas. Eis que assoma
Um lampejo. Vislumbro a tua coma
Que hoje é cinza ou ainda é de ouro.
 
Repito que perdi unicamente
A aparência superficial das cousas.
O consolo é de Milton e é potente,
 
Mas penso nas palavras e nas rosas.
Penso que se pudesse ver-me a cara
Saberia quem sou na tarde rara.
 
Submitted by Manuela Colombo on Sat, 12/08/2017 - 18:44
Author's comments:

Em "Quase Borges: 20 transpoemas e uma entrevista". [traduções de Augusto de Campos]. São Paulo: Terracota, 2013

Comments