Júlio Saraiva - Na morte de Sophia de Mello Breyner Andresen (Olasz translation)

Portugál

Na morte de Sophia de Mello Breyner Andresen

não devias dormir agora sophia
esperasses mais um pouco
ainda não atravessei o mar
ainda não beijei teus olhos verdes
não segurei tuas mãos em conchas
mas esqueci todos os meus poemas de amor
 
no entanto dormes sophia
e as notícias do teu sono chegam-me de longe
num navio fantasma
mas sei que já não és mais uma mulher
e sim uma criança
transformada em calmaria
porque a morte enfim nos dá o direito
do retorno à infância
pena que o tempo de viver seja tão breve
 
anunciam-te morta sophia
não não não estás morta
eu sei que não estás
estás apenas preparando
um poema para a eternidade
mas ninguém percebeu isso
 
enquanto dormes
 
Kűldve: Manuela Colombo Szombat, 21/10/2017 - 20:14
Align paragraphs
Olasz translation

In morte di Sophia de Mello Breyner Andresen

non dovevi dormire ora sophia
avresti dovuto attendere ancora un po’
non ho ancora attraversato il mare
non ho ancora baciato i tuoi occhi verdi
non ho tenuto le tue mani nelle mie
ma ho scordato tutte le mie poesie d’amore
 
e intanto tu dormi sophia
e le notizie del tuo sonno mi giungon da lontano
su una nave fantasma
ma so che ormai non sei più una donna
ma una bimbetta
trasformata in bonaccia
perché la morte infine ci dà il diritto
di tornare all’infanzia
peccato che il tempo di vivere sia così breve
 
ci comunicano che sei morta sophia
no no non sei morta
io so che non lo sei
stai soltanto preparando
una poesia per l’eternità
ma nessuno l’ha capito
 
mentre stai dormendo
 
Kűldve: Manuela Colombo Szombat, 21/10/2017 - 20:18
Szerző észrevételei:

Traduzione fatta da Manuela Colombo. Chi volesse riutilizzarla, è pregato di chiederne prima l’autorizzazione e di citare sempre il mio nome come autore.
Tradução feita por Manuela Colombo. Caso você queira reutilizá-la, por favor peça por permissão antes e sempre cite meu nome como o do autor.

See also
Hozzászólások