Vinicius de Moraes - Apelo

Portugál

Apelo

Ah, meu amor não vás embora
Vê a vida como chora, vê que triste esta canção
Não, eu te peço, não te ausentes
Pois a dor que agora sentes, só se esquece no perdão
Ah, minha amada me perdoa
Pois embora ainda te doa a tristeza que causei
Eu te suplico não destruas tantas coisas que são tuas
Por um mal que eu já paguei
 
Ah, minha amada, se soubesses
Da tristeza que há nas preces
Que a chorar te faço eu
Se tu soubesses num momento todo arrependimento
Como tudo entristeceu
Se tu soubesses como é triste
Perceber que tu partiste
Sem sequer dizer adeus
 
Ah, meu amor tu voltarias
E de novo cairias
A chorar nos braços meus
 
De repente do riso fez-se o pranto,
silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
S.
 
De repente da calma fez-se o vento,
Que dos olhos desfez a última chama,
E da paixão fez-se o pressentimento,
E do momento imóvel fez-se o drama.
 
De repente não mais que de repente,
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho que se fez contente.
 
Fez-se do amigo próximo, o distante,
Fez-se da vida uma aventura errante,
De repente não mais que de repente.
 
Ah, meu amor tu voltarias
E de novo cairias
A chorar nos braços meus.
 
Ah, meu amor tu voltarias
E de novo cairias
A chorar nos braços meus.
 
Kűldve: steph8866 Csütörtök, 17/07/2014 - 21:16
Last edited by steph8866 on Szombat, 28/02/2015 - 20:42
Köszönet

 

Translations of "Apelo"
Vinicius de Moraes: Top 6
Hozzászólások