Nós Não Mudamos

Francês

On Ne Change Pas

On ne change pas
On met juste les costumes d'autres sur soi
On ne change pas
Une veste ne cache qu'un peu de ce qu'on voit
On ne grandit pas
On pousse un peu, tout juste
Le temps d'un reve, d'un songe
Et les toucher du doigt

Mais on n'oublie pas
L'enfant qui reste, presque nu
Les instants d'innocence
Quand on ne savait pas

On ne change pas
On attrape des airs et des poses de combat
On ne change pas
On se donne le change, on croit
Que l'on fait des choix
Mais si tu grattes la
Tout pres de l'apparence tremble
Un petit qui nous ressemble
On sait bien qu'il est la
On l'entend parfois
Sa rengaine insolente
Qui s'entete et qui repete
Oh ne me quitte pas

On n'oublie jamais
On a toujours un geste
Qui trahit qui l'on est
Un prince, un valet

Sous la couronne un regard
Une arrogance, un trait
D'un prince ou d'un valet
Je sais tellement ca
J'ai copie des images
Et des reves que j'avais
Tous ces milliers de reves
Mais si pres de moi
Une petite fille maigre
Marche a Charlemagne, inquiete
Et me parle tout bas

On ne change pas, on met juste
Les costumes d'autres et voila
On ne change pas, on ne cache
Qu'un instant de soi
Une petite fille
Ingrate et solitaire marche
Et reve dans les neiges
En oubliant le froid

Si je la maquille
Elle disparait un peu,
Le temps de me regarder faire
Et se moquer de moi
Une petite fille
Une toute petite fille
Une toute petite fille
Une toute petite fille

See video
 Tentar alinhar
Português

Nós Não Mudamos

Nós não mudamos
Só botamos as fantasias de outras pessoas
Nós não mudamos
Uma jaqueta muda um pouco do que vemos
Nós não envelhecemos
Apenas crescemos um pouco, só isso
O tempo de um sonho, de um pequeno sonho
E tocá-los com os dedos

Mas nunca esquecemos
A criança que diz, quase nua
Os instantes de inocência
Quando nós não sabíamos

Nós nunca mudamos
Ganhamos rostos e poses de combate
Nós nunca mudamos
Nós respondemos aos outros, nós acreditamos
Que fazemos escolhas
Mas se você arranhar
Bem perto da aparência treme
Um pouco que lembra de nós
Sabemos que está lá
Escutamos às vezes
Seu velho timbre insolente
Que insiste em se repetir
Ah, não me deixe

Nós nunca esquecemos
Temos sempre um movimento
Que revela quem somos
Um príncipe, um valete
Sob a coroa, um olhar
Uma arrogância, um traço
De um príncipe ou de um valete
Eu sei muito bem
Eu copiei as imagens
Dos sonhos que eu tive
Todos esses milhares de sonhos
Mas tão perto de mim
Uma menina magra
Marcha em Charlemagne inquieta
E sussura pra mim

Nós nunca mudamos, nós apenas botamos
As fantasias dos outros, e voila
Nós nunca mudamos, nós apenas escondemos
Um momento de nós
Uma pequena menina
Ingrata e solitária marcha
E sonha pela neve
Esquecendo do frio

Se eu a maqueio
Ela desaparece um pouco
O suficiente para me ver fazer
E zombar de mim
Uma menina

Uma menina pequena
Uma menina pequena
Uma menina pequena

Submetido por Knee427 em Sábado, 23/06/2012 - 22:15
0
Seus pontos: Nenhum
Comentários