Por Morrer Uma Andorinha текст

португалски

Por Morrer Uma Andorinha

Se deixaste de ser minha
Não deixei de ser quem era
Por morrer uma andorinha
Não acaba a primavera
Por morrer uma andorinha
Não acaba a primavera

Como vês não estou mudado
E nem sequer descontente
Conservo o mesmo presente
E guardo o mesmo passado
Conservo o mesmo presente
E guardo o mesmo passado

Eu já estava habituado
A que não fosses sincera
Por isso eu não fico à espera
De uma emoção que eu não tinha
Se deixaste de ser minha
Não deixei de ser quem era
Se deixaste de ser minha
Não deixei de ser quem era

Vivo a vida como dantes?
Não tenho menos nem mais
E os dias passam iguais
Aos dias que vão distantes
E os dias passam iguais
Aos dias que vão distantes

Horas, minutos, instantes
Seguem a ordem austera?
Ninguem se agarre à quimera
Do que o destino encaminha?
Pois por morrer uma andorinha
Não acaba a primavera
Pois por morrer uma andorinha
Não acaba a primavera

Поставио/ла: fadoluban У: Четвртак, 07/07/2011 - 11:36
Last edited by dowlenon1 on Понедељак, 06/01/2014 - 21:05
Коментари подносиоца:

Видео снимак

See video
Коментари
francisco.translate     January 6th, 2014

Hi Agnieszka,
You may add a video with this song. It's here: http://www.youtube.com/watch?v=m1p0f_UwDIk
I'll add also a new English translation, according to my Portuguese transcription and a few other details.
My transcription of that song has a few differences. Here you see:

Se deixaste de ser minha
Não deixei de ser quem era
Se deixaste de ser minha
Não deixei de ser quem era
Por morrer uma andorinha
Não acaba a primavera
Por morrer uma andorinha
Não acaba a primavera

Como vês, não estou mudado
E nem sequer descontente
Como vês, não estou mudado
E nem sequer descontente
Conservo o mesmo presente
E guardo o mesmo passado
Conservo o mesmo presente
E guardo o mesmo passado

Eu já estava habituado
A que não fosses sincera
Por isso eu não fico à espera
Duma ilusão que não tinha
Se deixaste de ser minha
Não deixei de ser quem era

Vivo a vida como dantes
Não tenho menos nem mais
Vivo a vida como dantes
Não tenho menos nem mais
E os dias passam iguais
Aos dias que vão distantes
E os dias passam iguais
Aos dias que vão distantes

Horas, minutos, instantes
Seguem a ordem austera
Ninguém se agarre à quimera
Do que o destino encaminha
Pois por morrer uma andorinha
Não acaba a primavera
Por morrer uma andorinha
Não acaba a primavera