Cántiga (No jardim umha noite) (إلى البرتغالية ترجم)

Advertisements
جاليسيان البرتغالية

Cántiga (No jardim umha noite)

No jardim umha noite, sampada
Ò refrexo do branco luar,
Umha nena chorava sem trégulas
Os desdês dum ingrato galã.
E a coitada, entre queixas, dizia:
«Já no mundo nom tenho ninguém:
Vou morrere e nom vêem os meus olhos
Os olhinhos do meu doce bem!»
 
Os seus ecos de malenconia
Caminhavam nas asas do vento
E o lamento
Repetia:
«Vou morrere e nom vem o meu bem!»
 
Longe dela, de pé sobre a popa
Dum a-leve, negreiro vapor
Emigrante, caminho de América,
Vai o probe, infelize amador!
E ò olhare as gentis andorinhas
Face à terra que deixa a cruzar:
«Quem pudesse dar volta! -pensava-,
Quem pudesse convosco voar…!»
 
Mas as aves e o buque fugiam
Sem ouvire seus amaros lamentos!
Ai, só os ventos
Repetiam:
«Quem pudesse convosco voar…!»
 
Noites craras de aromas e lua,
Dende entom, quê tristeza em vós há
Pròs que viram chorare umha nena,
Pròs que viram um barco zarpar…!
 
Dum amore cerestial, verdadeiro,
Já só ficam de báguas a prova...
Umha cova
Num outeiro
E um cadavre no fundo do mar...
 
تم نشره بواسطة MetodiusMetodius في السبت, 04/11/2017 - 20:56
تم تعديله آخر مرة بواسطة MetodiusMetodius في الأثنين, 01/01/2018 - 03:42
تعليقات الناشر:

Musical interpretation of the famous poem "Umha Noite na Eira do Trigo" by the Galician poet Manuel Curros Enríquez (September 15, 1851 - February 7, 1908), published in 1880, in the book "Ares da Minha Terra".
Link: https://en.wikipedia.org/wiki/Manuel_Curros_Enr%C3%ADquez

Align paragraphs
إلى البرتغالية ترجم

Cantiga (Uma noite no jardim)

Uma noite no jardim, caída
Exposta ao reflexo da lua branca,
Uma menina chorava sem tréguas
Por causa das desdenhas dum ingrato galã1.
E a coitada, em soluços, dizia:
“No mundo já tenho mais ninguém:
Vou morrer e os meus olhos não vão ver
Os olhinhos do meu doce bem!”
 
Os seus ecos de melancolia
Caminhavam nas asas do vento
E o lamento
Repetia:
“Vou morrer e o meu bem não virá!”
 
Longe dela, de pé sobre a popa2
Dum veloz barco a vapor negro,
Emigrante, a caminho da América,
Vai o pobre, infeliz e amador!
E ao olhar às gentis andorinhas,
De face à terra que deixou de cruzar:
“Se pudesse dar volta! -pensava-,
Se pudesse voar convosco...!”
 
Mas as aves e o buque3continuavam
Sem ouvir os seus amargos lamentos!
Ai, só os ventos
Repetiam:
“Se pudesse voar convosco...!”
 
Noites claras de aromas e lua,
Desde então, em vós houve tristeza.
Pros que viram uma menina chorar,
Pros que viram um barco zarpar4...!
 
Já dum amor celestial e verdadeiro,
Só ficam as lágrimas de prova...
Uma cova,
Num outeiro5
E um cadáver no fundo do mar...
 
  • 1. Galã = um homem belo, elegante, que galanteia e namora muito.
  • 2. A popa ou ré é a secção traseira de uma embarcação, sendo tecnicamente definida como a área construída entre o painel de popa e as alhetas da embarcação. O termo popa é por vezes utilizado para designar genericamente toda a secção localizada a ré da meia-nau.
  • 3. Buque = embarcação de pesca que serve de apoio ao galeão, embarcação maior, a vapor, empr. na pesca de sardinha e que usa o cerco americano ('aparelho de pesca').
  • 4. Zarpar = Navegar (podendo ter um sentido extra de deixar coisas ou alguém para trás).
  • 5. Outeiro = pequena elevação de terreno; monte.
تم نشره بواسطة Thalyson TeixeiraThalyson Teixeira في الأربعاء, 13/02/2019 - 01:07
تم تعديله آخر مرة بواسطة Thalyson TeixeiraThalyson Teixeira في السبت, 16/03/2019 - 01:49
5
تصنيفك: None Average: 5 (1 vote)
ترجمات أخرى للأغنية "Cántiga (No jardim ..."
البرتغالية Thalyson Teixeira
5
See also
التعليقات
MetodiusMetodius    الأربعاء, 13/02/2019 - 22:04
5

Muito obrigado! Fez o senhore uma tradução formosa para uma canção lindíssima. 10/10

Thalyson TeixeiraThalyson Teixeira    الخميس, 14/02/2019 - 00:13

Muito obrigado pelo elogios que recebi de ti em relação a tradução! Dessa vez a tradução deu muito certo!

Thalyson TeixeiraThalyson Teixeira    الخميس, 14/02/2019 - 00:58

Têm algumas versões galego-portuguesas que são muito distantes da do português contemporâneo. E elas são quase intraduzíveis. Vulgo o “Maravilhosos e Piedosos” em que demorei cerca de 7 dias para traduzir. O “Bem Justo” também foi extremamente difícil de se traduzir. E ainda nelas podem haver alguns erros de tradução independentemente se eu usei glossários ou não.