Filomena Maricoa - Dor de Cotovelo

Portuguese

Dor de Cotovelo

Filomena Maricoa
É muita dore
Está a lhes fatigar roer o osso
Oh meu Senhore
Está mesmo sério
 
Estão com calore
Porque eu te amo, você me ama
Estão com rancore
Isso é mesmo feio
 
Estão a inventar histórias
Fazer macumba pra destruir
Só que eles não vão conseguir
Só que eles não vão conseguir
Em nome do amor que eu tenho
Estou disposta pra assumir
Pra quem está a querer competir
Pra quem está a querer competir
 
Messias Maricoa
Está a lhes doer male
Estão já a se enervare ê
Estão a se incomodare
Dor de cotovelo ê
 
Estão com comichão, chão chão
Porque eu te amo, você me ama
Estarão sempre no chão, chão, chão
A se entalare
Se estão nervoso ê, vão pescare
Nada de se estressar, vão passeare
 
Estão a inventar histórias
Fazer macumba pra destruir
Só que eles não vão conseguir
Só que eles não vão conseguire
Em nome do amor
Eu tô bem disposto pra já assumir
Pra já assumir
 
Filomena Maricoa
Está a lhes doer male
Estão já a se enervare ê
Estão a se incomodare
Dor de cotovelo ê
 
Está a lhes doer male
Estão já a se enervare ê
Estão a se incomodare
Dor de cotovelo ê
 
Submitted by ulissescoroa on Wed, 07/02/2018 - 15:14
Thanks!thanked 6 times

 

Filomena Maricoa: Top 3
Comments
Josemar    Sat, 17/02/2018 - 16:17

Não deveria ser "enervar", "incomodar" etc.? Esse "e" que eles pronunciam após algumas palavras, como em "senhor", parece ser só uma interjeição.

ulissescoroa    Mon, 19/02/2018 - 00:55

De fato, a gramática dos países de língua portuguesa é uma só, pelo que não haveria qualquer problema em escrever "enervar", "incomodar", "mal" e etc. A ideia, no entanto, é manter tanto quanto possível nas letras as peculiaridades dos falares do português angolano e moçambicano. Assim como há vários vocábulos introduzidos no português falado na África lusófona que não se falam em outras partes do mundo como no Brasil ou em Portugal, algumas pronúncias como esta do "e" alongado no final das palavras é tão recorrente que certos artistas inclusive preferem escrever dessa forma em lyric videos e em páginas oficiais. Trata-se só de uma representação informal da fala deles, embora a escrita original permaneça inalterada em contextos mais formais, como você apontou.

Josemar    Mon, 19/02/2018 - 01:34

Entendo. Já notei um fenômeno similar: em Portugal, algumas pessoas costumam acrescentar um "-e" no final de um verbo no infinitivo impessoal ao falar, porém nunca representam essa "desinência" na escrita. Tenho ciência das peculiaridades das formas de português faladas na África (como o uso de palavras oriundas de línguas regionais), apesar de pouco compreendê-las, mas perguntei por nunca ter visto algo de tal natureza se manifestar em nenhuma das duas normas escritas oficiais do português. Agradeço imenso pelos esclarecimentos! Regular smile